BTemplates.com

Com tecnologia do Blogger.

Text Widget

GoPro anuncia Hero 6 Black, a câmara 360 Fusion e novas funcionalidade para o drone Karma

GoPro Hero 6 Black Após uma espera ansiosa a GoPro revelou a mais recente da sua série de Heros, a Hero 6 Black, que tendo um design se...

Seguidores

Pesquisar neste blogue

Translate

sexta-feira, 31 de julho de 2015

A Uber irá investir 1 bilião de dólares na Índia em 2016


No mês passado, a Uber revelou planos para gastar mais de 1 bilião de dólares este ano, na China, afirmando também que este país é a "sua prioridade número um". E agora com o lucro que estão a fazer no mercado internacional, estes estão a pensar gastar, também, outro bilião de dólares na Índia dento dos próximos nove meses, para trazer os seus serviços a novas cidades e ser mais popular que os táxis locais, Ola.

"Estamos muito otimistas no mercado Indiano e vemos um enorme potencial aqui". disse o presidente da Uber na Índia, Amit Jain, num comunicado, segundo a Reuters. A empresa espera que o investimento ajude a proteger 1 milhão de viagens por dia em todo o país até março de 2016, uma meta ambiciosa dada pela Uber, que atualmente regista cerca de 200,000 passeios num dia.

A Uber já opera em 18 cidades indianas. A empresa espera expandir o seu repertório para mais de 40 cidades no total e triplicar a sua equipa, reporta o Wall Street Journal. A Uber também quer recrutar uma serie de novos condutores, trazendo uma contagem de 50,000 motoristas no país para 200 mil pelo próximo ano.

Ola é o maior concorrente da Uber na Índia, embora não com a mesma intensidade que a aplicação Didi Kuaidi da China, já que o mercado na Índia não é tão robusto. (A Uber disse no mês passado que tinha alcançado quase 1 milhão de passeios na China e ainda, Didi Kuaidi monopoliza cerca de 90% do mercado) A maior vantagem da Ola é que já opera em mais de 100 cidades e fornece duas vezes mais passeios que a Uber por dia, relatório da Financial Times.

A Uber provavelmente enfrentará questões regulatórias caso a sua presença na Índia cresça. Em dezembro do ano passado, um motorista da Uber na cidade de Delhi foi acusado de violação a uma cliente; a Uber foi então banida da capital indiana, até que a proibição foi retirada no inicio deste mês.

Atualmente a Uber encontra-se proibida em Portugal.

Fonte:
FAST COMPANY

domingo, 26 de julho de 2015

A China está a construir o maior radiotelescópio do mundo em Guizhou


 
Técnicos já começaram a montar o maior radiotelescópio do mundo, chegando a ter o tamanho de 30 campos de futebol, nas montanhas de Guizhou, a sudoeste da China.

Dia 23 deste mês, os mesmos, começaram a montar os refletores da parabólica, que tem 500 metros de diâmetro e é feito de 4,450 painéis, Cada painel tem a forma de um triângulo equilátero com os 3 lados a medirem 11 metros de comprimento.

Uma vez completo, antena parabólica esférica chamada FAST será a maior do mundo, superando a de Arecibo, em Porto Rico, que tem 300 metros de diâmetro.

Nan Rendong, chefe cientista do projeto FAST em conjunto com o Observatório Nacional da Academia Chinesa de Ciências, reportou aos meios de comunicação que este radiotelescópio será capaz de captar sinais mais fracos.

"Um radiotelescópio é como um ouvido sensível, podendo ouvir mensagens de rádio significativas de ruído branco no universo. É como conseguir ouvir o som de cigarras numa tempestade", disse.

A antena parabólica está a ser construída num vale naturalmente formado. "Há tres colinas a cerca de 500 metros de distância umas das outras, criando assim um vale que é perfeito para construir o radiotelescópio", disse Sun Caihong, engenheiro-chefe da FAST.

A formação cársica na paisagem local é boa para a drenagem das águas pluviais para o subsolo e para proteger a antena parabólica. Sun disse
 
A área em volta tem "silêncio de rádio", como não existem cidades e vilas num raio de 5 km para interferir com as captações do radiotelescópio, sendo que a cidade mais próxima fica a 25 km.

A enorme antena parabólica que está sobre o chão está apoiada por milhares de colunas e cabos de aço.

Uma plataforma de observação no topo da colina, quando concluída, será aberta ao publico, disse Sun.

"Tendo um telescópio mais sensível, poderemos receber mensagens de radio mais fracas e mais distantes. O mesmo irá ajudar-nos a procurar vida inteligente fora da galáxia e explorar as origens do universo", disse Wu.

Via:
China.org.cn
Imagens retiradas de:
China.org.cn

sexta-feira, 24 de julho de 2015

Agora poderá reproduzir no modo de ecrã inteiro vídeos filmados verticalmente


Resumidamente: Em vez de ter de girar o smartphone 90 graus para ver o vídeo no modo de ecrã inteiro, o YouTube irá expandir o vídeo para preencher o seu ecrã do smartphone ou do tablet. Como poderá ver nas imagens deste vídeo, o novo método do modo de ecrã inteiro (terceira imagem) parece muito melhor que o anterior.

Fonte:
The Verge
Imagem retirada de:
The Verge

sábado, 18 de julho de 2015

Veja como é o interior da nova GoPro


A nova GoPro é mais pequena e diferente de todas as outras já feitas. Mas o que estará lá dentro? O iFixit foi "espreitar".

E o que é que eles encontraram? Circuitos minúsculos, um conjunto de lentes finas e um cubo transparente completamente selado que tiveram de rasgar com um xizato. Isto poderá significar uma má noticia se o consumidor quiser substituir a bateria ou reparar alguma coisa que funcione mal. Mas é boa notícia quando se vai para a água, porque este revestimento é completamente impermeável.
GoPro_Naked1GoPro_Naked2
E aqui está uma animação em 360º de como a câmara é em Raio-X:

Fonte:
GIZMODO
Imagens retiradas de:
iFixit

domingo, 12 de julho de 2015

A aplicação WhatsApp poderá ser banida do Reino Unido dentro de algumas semanas


WhatsApp_blog
A aplicação WhatsApp poderá em breve ser proibida no Reino Unido, devido às leis rigorosas das medias sociais e dos serviços de mensagens online.

De acordo com o Express.co.uk, o primeiro ministro britânico, David Cameron, irá impor uma nova legislação que planeia "impedir as pessoas de enviar qualquer forma de mensagens encriptadas".

Hoje em dia, existem serviços de mensagens populares no Reino Unido, como o WhatsApp, iMessage e o Snapchat. Se a nova legislação for aprovada, todos estes serviços poderão ser proibidos do Reino Unido nas próximas semanas.

Cameron afirmou: "No nosso país, devemos permitir meios de comunicação entre pessoas que nós não conseguimos ler? A minha resposta é: Não, não devemos".

Com os fornecedores de serviços da Internet, empresas como o Facebook, Google, etc, terão de manter um registo das atividades das pessoas. O novo projeto de lei, cujo ritmo foi acelerado devido a preocupações recentes com ataques terroristas, poderá ser passado para o outono.

Embora os detalhes completos do projeto de lei não tenham sido revelados, significa que o governo irá começar a espiar as conversas dos utilizadores, independentemente de serem suspeitos de crimes ou não.

Fonte:
TECH2
Imagem retirada de:
WhatsApp

sexta-feira, 10 de julho de 2015

Graças à Kickstarter, Nova Iorque terá um parque subterrâneo que receberá luz solar


 
Uma equipa interessada de inventores, designers e estrategistas conseguiram passar um obstáculo fundamental que era trazer o primeiro parque subterrâneo do mundo para Nova Iorque. Utilizando a sua própria tecnologia solar de ponta, a equipa pretende fazer um parque rico em folhagem, plantas e árvores por baixo da rua Delancey, na zona este da cidade. Para finalizar, os projetos para este parque revolucionário seria renovação do antigo Williams Bridge Trolley Terminal, dando assim uma nova vida a um ponto de referência abandonado.
Chamado Lowline, este projeto levou recentemente a intenção da Kickstarter arrecadar 200 mil dólares para ajudar a financiar as instalações de testes, para convencer a cidade a aprovar o projeto. Ao longo da campanha, a Lowline conseguiu arrecadar uns impressionantes 223,506$, permitindo-lhes luz verde para construir as instalações de testes que precisavam. Esta instalação, chamado Lowline Lab, irá habitar num antigo armazém, onde se faziam mercados, que está a poucos metros do local pretendido para construir o parque, e deverá servir como a última paragem antes da produção subterrânea começar.
 
Usando o armazém nas proximidades para o teste, a equipa planeia instalar a sua tecnologia avançada para recolher a luz solar, que é composta por quatro partes diferentes de trabalho. Primeiro, painéis solar concentram a luz para tubos subterrâneos chamados Irrigadores. Estes tubos em seguida distribuem a luz solar ainda mais subterrâneo para os Distribuidores, que refletem e distribuem o espetro de luz para o Lowline Lab. Usando esta tecnologia, a equipa tem a capacidade de cultivar plantas que prosperam numa área tipicamente escura, criando um espaço que lembra um parque de uma cidade. Os planos para os testes da Lowline Lab estão programados para decorrer entre setembro de 2015 e fevereiro de 2016, dando assim várias informações para a equipa aperfeiçoar o projeto em escala real.
Embora o projeto ainda esteja no início, a equipa já reproduziu uma versão em pequena escala por volta de 2012 após outra campanha da Kickstarter ter sido bem sucedida. A versão Lowline de 2012 contou com a tecnologia solar semelhante e criou um parque que conseguiu ter vida para as pessoas visitarem e passearem por lá. Depois de receber bom feedback dos visitantes do laboratório, organizações jovens, e anfitriões de apoiadores e assessores, a Lowline voltou ao negócio, desenvolvendo assim novas ideias e tecnologias para o projeto final.
Com a avançada tecnologia solar, mais uma campanha bem sucedida da Kickstarter, e ainda mais com a ajuda de diretores e conselheiros, a Lowline irá finalmente ter o primeiro parque subterrâneo do mundo movido a energia solar. Este não é apenas um grande paço para a Lowline, mas sim para Nova Iorque, permitindo assim às pessoas que habitem lá celebrar mais um marco histórico. Além disso, este parque dá à energia solar outro grande feito impressionante.
Fonte:
Digital Trends
Imagens retiradas de:
lowline

quinta-feira, 9 de julho de 2015

A mais recente demonstração do HoloLens da Microsoft é mais realista sobre as suas limitações


 
A Microsoft revelou na E3 que o campo de visão para os seus HoloLens não é susceptível a ficar muito melhor. Tem sido um ponto de discórdia dos impressionantes headsets, e parece que agora a Microsoft está a ser mais realista sobre as suas limitações. Num vídeo divulgado ontem, a Microsoft fornece outro ponto de vista em como HoloLens poderá ser usado numa universidade. É interessante ver como alunos poderão aprender anatomia com os HoloLens, e é uma experiência muito mais envolvente do que os livros ou ecrãs de computadores.

Ao longo do vídeo, a Microsoft mostra vários exemplos de headsets do HoloLens do ponto de vista do utilizador. No minuto 1:24, podemos ver claramente o campo visão onde se pode ver e interagir com os hologramas.

Fonte:
Imagens retiradas de:

NASA está a considerar fazer terraformação na Lua com robôs autónomos


 
Há poucas coisas completamente fascinantes como o espaço e robôs, e a NASA decidiu dar meio milhão de dólares a um projeto para juntar estes dois, porque, bem... ciência. Avançando para a Fase 2 da NIAC, a NASA selecionou uma proposta única que seria, essencialmente, transformar uma das crateras da Lua num habitat para robôs autónomos e talvez, um dia, para os humanos.

A proposta, que vem do Laboratório de Propulsão a Jato da NASA em Pasadena, California, tem o objetivo de enviar um exército de robôs para a Cratera Shackleton para se instalar uma série de transformadores movidos a energia solar. Estes transformadores irão então permitir que os robôs desenvolvam um ambiente hospitaleiro para análises de laboratório cientifico e criar uma base de operações na cratera, que contém grandes quantidades de hidrogénio líquido e oxigénio. Segundo o cientista Adrian Stoica - o que propôs este trabalho - a criação deste hidrogénio e oxigénio líquido faria as viagens interplanetárias uma possibilidade mais viável.

O que faz a Cratera Shackleton ser uma localização tão atraente para este grande projeto de terraformação é o seu enorme tamanho (cerca de 336 km²), bem como o fato de que é rodeado por alguns picos chegando aos 4 km de altura. A NASA quer que a sua frota de robôs se estabeleça numa cratera colossal quase duas vezes o tamanho de Washingtion DC. Além disso, os cientistas já concluíram que há 3 anos a Cratera Shackleton - localizada no Polo Sul da Lua - continha uma grande quantidade de gelo. Enquanto que os robôs não têm a grande necessidade de água, esta pode vir a garantir a vida humana na Lua.

Para a sobrevivência dos robôs, cada um requer uma quantidade substancial de calor e de energia eléctrica para funcionar corretamente. Isto porque, o interior da Cratera Shackleton não recebe luz solar - e está sempre a uma temperatura de -173ºC - a primeira tarefa dos robôs será a criação de uma serie de refletores solares para apontar a luz do Sol para dentro da cratera. Para configurá-los, rovers lunares irão transportar os refletores em redor da cratera para obter luz solar. Cada refletor possuirá a capacidade de incidir a luz até 10 km de profundidade, que por sua vez alimentará cada grupo separado com cerca de um megawatt de energia. Com vários rovers lunares a emitir a luz solar a partir dos aros na cratera, a NASA planeia construir um oásis sustentável e orientado para dar aos robôs um recurso para se recarregarem, aquecerem e operar o equipamento.

Embora a NASA tenha recentemente compensado esta proposta de 500 mil dólares por um período de dois anos, não fique muito animado em ver este plano em ação muito brevemente. A equipa por trás desta proposta está atualmente a elaborar um projeto para um refletor capaz de caber numa caixa com apenas 1 m³, que pese não mais de 100 kg, e que tenha 3 km de cobertor espacial com 95% de refletividade a longo prazo.

Fonte:
Digital Trends
Imagens retiradas de:
Digital Trends
Wikipedia

quarta-feira, 8 de julho de 2015

Honda estabelece um novo recorde no Guinness World Records para eficiência de combustível


A Honda estabeleceu um novo recorde no Guinness World Records para o "mais baixo consumo de combustível", passando assim por 24 países da UE, registando uma média de 2,34 litros aos cem durante 13, 49757kms.

Atrás do volante do Honda Civic Tourer 1.6 i-DTEC estavam dois membros da Pesquisa e Desenvolvimento (R&D) da Honda, Fergal McGrath e Julian Warren, que assumiram o desafio de demonstrar a economia do Tourer.

A distância percorrida seria o mesmo que ir de Inglaterra até à Austrália, parando apenas nove vezes para abastecer. O carro atingiu uma média de 1499,909 kms por em cada tanque de combustível, a um custo total de 647€.
 
A equipa partiu em viagem de Aalst, na Bélgica, na segunda feira 1 de Junho, navegando pelo continente no sentido dos ponteiros. Retornaram ao seu ponto de partida na quinta feira, 25 de Junho, registando incríveis números da economia do combustível que excederam a eficiência do Tourer, de 3,8 litros aos cem, em mais de 25%.

Segundo as regras, os dois condutores tiveram de permanecer no carro durante toda a viagem, ou cada vez que estivessem a conduzir, desafiando assim uma média de 611 kms, levando cerca de 7,5 horas, cada dia.

Fonte:
Honda
Imagens retiradas de:
Honda

terça-feira, 7 de julho de 2015

A adição mais recente à frota de centro de dados do Facebook é: Fort Worth


"Hoje anunciamos que Fort Worth, Texas, será a casa para o nosso próximo centro de dados. Juntamente com os já existentes em Altoona, Prineville, Forest City e Lulea. Fort Worth será uma das bases da infraestruta global que traz as aplicações e serviços do Facebook para si todos os dias, e que está a ajudar a trazer biliões de pessoas online através de Internet.org."

"Assim como os seus antecessores, esperamos que Fort Worth seja um dos centros de dados mais avançados, eficientes e sustentáveis do mundo. O trabalho contínuo no design do centro de dados é uma parte importante dos nossos esforços para uma infraestrutura eficiente, que nos têm ajudado a poupar mais de 2 biliões de dólares nos custos da infraestrutura ao longo dos últimos 3 anos."

"E como o seu antecessor imediato, Fort Worth será alimentado por energia 100% renovável, graças aos 200 megawatts da nova energia elétrica que nos ajudou a escolher o Texas como parte deste negocio. Graças ao nosso foco contínuo na eficiência e investimentos na energias renováveis nos últimos anos, o impacto de carbono de uma pessoa a utilizar o Facebook por um ano inteiro tem o mesmo impacto de carbono de um café pingado meio cheio."

"Também reconhecemos que todos nós precisamos de trabalhar juntos para garantir que a nossa industria é mais eficiente e mais sustentável ao longo do tempo. É por isso que nós partilhamos abertamente os nossos projetos para os nossos centros de dados através do Open Compute Project, que tem agora mais de 200 membros e milhares de participantes, todos a colaborar no desenvolvimento de tecnologias eficientes e centros de dados sustentáveis."

Retirado de:
Facebook newsroom

Este mapa interativo mostra tudo o que está a flutuar à volta do nosso planeta


printscreen_SiS
Há um monte de lixo a flutuar à volta da Terra. Desde que o Sputnik foi lançado, em 1957, temos vindo a poluir a nossa vizinhança cósmica com quantidades enormes de lixo espacial.

Mas obter informação da quantidade de lixo que está lá em cima é uma tarefa complicada. Então o programador de 18 anos, James Yoder, construiu um mapa tridimensional e interativo mostrando exatamente tudo a girar à nossa volta. Mas o lixo não é a única coisa que se pode ver, também poderá ver satélites de GPS. O site onde se pode ver este lixo espacial e os satélites chama-se stuffin.space.

Os dados dos satélites e do lixo espacial são do Space Track, um site do governo americano que monitoriza tudo o que está em órbita e que seja maior que uma bola de ténis (menos os satélites de espionagem). E tudo isto junto chega a mais de 150 000 objetos.
Poderá clicar num ponto para saber se este é lixo espacial ou um satélite de GPS, ou agrupá-los à sua maneira, clicando em "Groups". Este site foi feito em WebGL.


Fonte:
techradar

Carros da BMW poderão abandonar de vez a transmissão manual


BMW_M3_AG
Durante muitos anos, a transmissão manual era a transmissão que estaria em todos os carros se o condutor quisesse uma melhor economia de combustível. Nos carros modernos, a transmissão automática é agora uma opção mais eficiente para consumo de combustível. Um lugar onde a manual se manteve a escolha principal das transmissões é nos carros de corrida, e mesmo estes irão ficar sem ela. A BMW deu a entender que poderá abandonar a transmissão manual nos carros M, como o M3 e o M4.

O palpite que a transmissão manual não virá mais nos carros BMW foi dito pelo chefe de divisão Frank van Meel, dizendo também que os carros assim poderão ter 600 cavalos de potencia.

Van Mell disse também que em relação à potência, "estamos no limite". Acrescentou também que, se pusessem mais cavalos de potência e torque "estaria provavelmente acima do limite". Quanto à transmissão manual, Meel disse que a dupla embraiagem e as caixas automáticas usadas atualmente nos carros da BMW são "mais rápidas e tem um melhor consumo de combustível".


Via:
SLASHGEAR
Imagem retirada de:
BMW

segunda-feira, 6 de julho de 2015

De lixo a tesouro: Adidas faz ténis a partir do lixo do oceano


Dizer que a poluição do oceano é um grande problema é um eufemismo. De acordo com a UNESCO, em 2006, havia 46 000 pedaços de plástico a flutuar a cada milha quadrada de oceano. Estes detritos de plástico são responsáveis pelas morte de mais de um milhão de aves marinhas e 100 000 mamíferos marinhos todos os anos. E isto é só o que sabemos sobre, porque o impacto destes detritos de plástico na vida marinha é em grande parte desconhecido.
Para ajudar a sensibilizar estes problemas, a marca alemã de artigos desportivos, Adidas, uniu forças com a Parley, uma organização criada em 2013 e dedicada à realização de projetos para proteger e conservar os oceanos da Terra.

Num evento hospedado na passada semana pelas Nações Unidas, Eric Liedtke (Adidas) e o fundador da Parley, Cyrill Gutsch, revelaram um novo projeto: um protótipo de um sapato que tem a parte superior feita inteiramente a partir de resíduos reciclados do oceano e redes de alto-mar ilegais.
Estas redes foram recuperadas pelo parceiro da Parley, Sea Shepherd, que gastou 110 dias a seguir um navio de pesca ilegal, conseguindo capturá-lo ao largo da costa da África Ocidental.

"Na Parley, queremos estabelecer os oceanos como uma parte fundamental do debate em volta das mudanças climáticas. O nosso objetivo é aumentar a sensibilização do público e inspirar novas colaborações que possam contribuir para proteger e preservar os oceanos", disse Gutsch.

"Estamos extremamente orgulhosos que a Adidas se tenha juntado a nós nesta missão e esteja a colocar a sua força criativa por trás desta parceria, para mostrar que é possível transformar estes detritos dos oceanos em algo bom".

Em Abril, quando foi anunciada a parceira com a Parley, a Adidas também anunciou que iria eliminar a utilização dos sacos de plástico em todas as lojas.
"Estamos muito animados por colaborar com a Parley, pois eles trazem a causa dos oceanos à atenção das Nações Unidas", disse Liedtke." A Adidas tem sido um líder em sustentabilidade, mas esta parceria permite-nos explorar novas áreas e criação de materiais e produtores inovadores para os nossas atletas. Convidamos todos a juntar a esta jornada para limpar os oceanos".

Este conceito de sapato, que ainda não tem nome, poderá não chegar às prateleiras na sua forma atual, mas algo muito parecido com o mesmo já está pensado e planeado.


Via:
Cnet
Imagens retiradas de:
Adidas
noaa

domingo, 5 de julho de 2015

Os primeiros detalhes do modo de história do Minecraft foram lançados, chegando ainda este ano ao PC e à Xbox One




Juntamente com a estreia do primeiro trailer de Minecraft: Modo História, a Mojang também usou a Minecon que decorreu em Londres, detalhando assim o que é o jogo sobre. E é certamente uma experiência meio Minecraft, meio Telltale.

O jogo virá para a Xbox One, Xbox 360 e PC, juntamente com o iOS, Android, Mac, PS3 e PS4 ainda este ano. No verdadeiro estilo da Telltale Games, será uma experiência movida por uma série de "episódios".

"Minecraft: Modo História é um jogo de aventura, pela Telltale Games, ambientado num mundo de Minecraft. É uma serie episódica de cinco partes que irá levá-lo ao Nether, FarLands, The End e muito mais! Tu é que vais decidir como é que a história ganha vida: o que dizes às pessoas (e como o dizes), e o que escolhes fazer nos momentos mais emocionantes.
Os jogadores irão controlar o protagonista Jesse durante toda a temporada, como retratado pelo ator Patton Oswalt. Jesse e o seu grupo de amigos irão venerar a legendária Order of the Stone (Ordem da Pedra); quatro aventureiros que mataram o dragão do Ender. A Ordem é o melhor que fazem: Guerreiro, Engenheiro de Redstone, Destruidor, e o Arquiteto. Quando no EnderCon, Jesse e os amigos descobrem que algo está errado... algo terrível. O terror é lançado e eles devem partir numa jornada para encontrar a Ordem da Pedra se querem salvar o mundo do esquecimento."


Fonte:
Windows Central

Display com plasma flutuante faz com que as fadas sejam uma realidade


Sininho Consegue ver a luz em forma de Sininho em cima? Não, isto não é CGI (imagem gerada por computador, é uma imagem real e completamente tocável. Estes displays mid-air de plasma não são tão prolíficos ainda, mas também não são exatamente novos. No entanto, as luzes criadas utilizando as técnicas existentes podem queimar a pele, uma vez que cada "voxel" (um pixel em 3D) é feito aquecendo moléculas com lasers de nano-segundos. A fim de tornar isto mais seguro ao toque, uma equipa de pesquisadores da Universidade de Tsukuba, da Universidade de Utsunomiya, do Instituto de Tecnologia de Nagoya e da Universidade de Tokyo, usou lasers que disparavam plasma a poucos femtossegundos de cada vez.
Voxels1 
Um femtosegundo é um milionésimo de um bilionésimo de um segundo, enquanto que um nano-segundo é um bilionésimo de um segundo. Estes pulsos mais pequenos não conseguem nem podem danificar a pele, fazendo com que o produto final seja tocável. Além disso, os objetos podem responder em tempo real (por exemplo, um coração ou outro desenho pode ser partido em dois quando tocado), bem como emitir um feedback tátil. A este ponto, os pesquisadores só podem renderizar imagens até oito milimetros cúbicos de tamanho, com resoluções chegando aos 200,000 voxels por segundo. Estes pesquisadores esperam que esta tecnologia seja mais utilizada no futuro, mas quem sabe, este poderá ser o inicio dos hologramas interativos, ou até dos computadores táteis flutuantes como os do Tony Stark.

Em baixo poderá ver o plasma flutuante em ação:




Fonte:
engadget
Imagens retiradas de:
SPECTRUM

sábado, 4 de julho de 2015

Facebook revela novo logótipo


Pela primeira vez desde o seu lançamento em 2005, o Facebook mudou o seu logótipo.

Quando a rede social foi criada, a empresa tinha como objetivo um logótipo que se parecesse "crescido", a fim de ser levado a sério, Josh Higgins, diretor de criação  do Facebook, disse à CNBC. "Agora que estamos estabelecidos, propusemos modernizar o logótipo de modo a ser mais amigável e acessível", disse.

Antes (esquerda) e Depois (direita)
Eric Olsen ajudou a desenvolver este novo tipo de letra personalizado para refletir onde a empresa está agora e onde está a ir, disse um porta-voz do Facebook.

Embora o logótipo principal tenha sido redesenhado, o favicon (o "f" que aparece no separador) manter-se-á o mesmo.


Fonte:
CNBC